SOBRE

"O Brasil é um país de muitas e cada vez mais cantoras, algumas maravilhosas e inúmeras excelentes e vários timbres e estilos de cantar.

No entanto é mister dizer que há muito carecemos de cantores; temos pouquíssimos bons cantores e após a moda de homens cantarem com voz frágil, de um falsete quase opaco, cantores bons mesmo são raros. Diogo Poças, pois chegou em boa hora. Sua afinação tem a delicadeza exata de quem conhece música; seu timbre melodioso revela sua identidade masculina e única.

Seu repertório é feito de diversificadas canções brasileiras de Vinícius de Moraes, Tom Jobim, Dorival Caymmi e de sua autoria. Sua expressividade feita de liberdade e emoção lhe dá propriedade para cantar os Beatles sem nenhum resquício de colonizado.

Diogo canta hoje com a bossa que não é velha, nem nova, mas a bossa nossa, brasileira, que tem no seu DNA a melancolia do fado português, a malícia sensual e lúdica de um povo que diante das dificuldades, desenvolveu o humor e a criatividade na música e na vida.

No cantar seu talento abrange o amplo repertório da música brasileira. Sua afinada cadência evidência o quanto conhece de música. No samba Diogo sabe dar ao samba o caráter lúdico e a malicia que lhe são próprios."

 

 

Eugênia Thereza de Andrade

Diretora de Teatro

 

Foto de Gabriel Matarazzo
Foto de Gabriel Matarazzo

Foto de Gabriel Matarazzo
Foto de Gabriel Matarazzo

Foto de Gabriel Matarazzo
Foto de Gabriel Matarazzo

Foto de Gabriel Matarazzo
Foto de Gabriel Matarazzo

1/7

Fotos de Gabriel Matarazzo